crédito_malparado

Infelizmente para a banca portuguesa, o crédito malparado atinge novos recordes em outubro pelo lado negativo, voltando assim a aumentar a taxa de crédito malparado em comparação ao mês de setembro. Este problema não afeta apenas um género de crédito, ou seja, não são apenas as empresas que possuem um aumento na taxa do crédito malparado, também os créditos habitação e de consumo fizeram com que o crédito malparada aumenta-se.

Em relação aos créditos concedidos a particulares, dos 125.034 milhões emprestados, cerca de 5.363 milhões de euros foi considerado como sendo crédito mal parado, o que corresponde assim a um taxa de 4,29%. No que toca ao crédito malparado em relação ás empresas aumentou mais de 0.20% do mês de setembro para o mês de outubro, uma vez que se situava nos 13,87% em setembro e no mês de outubro nos 14,1%, correspondendo neste mês a 13.064 milhões de euros do total de 92.679 milhões de euros concedidos aos empresários.

É de notar que no ano de 2014 o crédito malparado das empresas tem vindo constantemente a aumentar, sendo que desde fevereiro que ultrapassou os 10% e tem vindo a aumentar sucessivamente, chegando no mês de outubro então aos 14 pontos percentuais.

O crédito habitação e o crédito ao consumo, apesar das diferenças serem pouco significativas, sofreram também uma ligeira subida na taxa do crédito malparado, tendo o primeiro aumentado apenas 2 pontos percentuais (dos 2,50% em setembro para os 2,52% em outubro) e o segundo aumentou dos 10,79% em setembro para os 10,82% em outubro.

 

O aumento do crédito malparado não é de todo um bom sinal para a banca portuguesa, uma vez que significa que as famílias e as empresas não estão a conseguir pagar os créditos que requerem.