Obter um crédito pessoal mais barato permite-lhe ter capital suficiente para pagar despesas urgentes, desde que se comprometa a devolver o dinheiro num futuro próximo. Porém, é uma decisão que deve ser bem ponderada, pois a falta de cumprimento das cláusulas pode acabar numa situação renhida.

As diferenças entre créditos têm tendência a diferir imenso de banco para banco, mas existem maneiras de averiguar qual é definitivamente o mais barato. Existem simuladores para fazer estas distinções, mas convém antes de mais ter atenção a certos aspectos que lhe podem escapar.

Saiba qual o crédito pessoal mais barato

Por exemplo, se tem de pagar 5000€ entre 24 e 60 meses, com uma taxa de juro (TAEG) de 11,7%, o valor mensal para o prazo de 24 meses é de 228€ (valor arredondado) e para 60 meses, a mensalidade fica-se pelos 103€ (valor arredondado).

No final, seria isto que obtinha:

  • Prazo a 60 meses: 103€/mês * 60 meses = 6180€.
  • Prazo a 24 meses: 228€/mês *24 meses = 5472€.

Assim sendo, o crédito pessoal é realmente mais barato num prazo de 24 meses, custando-lhe 5472€.

Ao averiguar diferentes TAEG’s o resultado será sempre o mesmo: o crédito pessoal mais barato é a curto prazo. Faria mais sentido ao contrário, mas aí é que está: não irão querer que perceba tal coisa.

Além disso, nem a Deco aconselha a optar por créditos pessoas com prazos superiores a 36 meses e que o valor pedido não ultrapasse os 25000€, pois para valores superiores existem outras opções de financiamento.

A verdade é que muitos se aproveitam da lógica para influenciar as mentes dos indivíduos. Imaginemos que lhe vendem 2 produtos com oferta de outro. Como sabe que o preço do produto oferecido não está afinal escondido no preço dos outros 2 produtos cobrados? São truques psicológicos que não se percebem á primeira vista, mas estão realmente lá.